Dieta determina expectativa de vida livre de doenças crônicas

Compartilhar
Dieta determina expectativa de vida livre de doenças crônicas

Um estudo publicado no periódico “The American Journal of Clinical Nutrition” concluiu que hábitos alimentares saudáveis ​​estão associados à qualidade e à expectativa de vida de indivíduos entre 50 e 85 anos. O risco de mortalidade, em contrapartida, está diretamente relacionado às Doenças Crônicas não Transmissíveis (DCNT).

Hipertensão arterial, diabetes, cânceres e doenças respiratórias crônicas são as representantes mais conhecidas das DCNTs –quase todas com causas vinculadas à má alimentação, ao estresse e ao sedentarismo.

Segundo dados oficiais, as DCNTs são silenciosas e causadoras de mais de 70% dos óbitos no Brasil. Ao menos 57 milhões de brasileiros possuem pelo menos uma doença desse tipo. No mundo, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), as doenças DCNT são responsáveis por 63% das mortes.

Doenças crônicas e qualidade de vida


Na pesquisa sobre a qualidade da alimentação, grãos integrais, nozes, frutas, legumes e peixe foram associados a um risco menor de desenvolver esses males. Hábitos alimentares devem ser estimulados desde a infância e constantes ao longo da vida.

Fatores de predisposição genética, quando existem, também podem ser diminuídos ou retardados com cuidados alimentares. Existem outros elementos que colaboram para o surgimento das DCNTs, como sexo, idade, tabagismo e o abuso de álcool.

Além de ajudar a viver mais, pesquisas como essas mostram como viver melhor.

Fonte: Abran
Compartilhar